14 de julho de 2010

Agricultura depende de tecnologia



O aumento das chuvas e da temperatura para as próximas décadas deverá trazer impacto sobre a produção agrícola mundial. O risco iminente trazido pelas mudanças climáticas faz com que esse tema entre na agenda de discussões dos produtores, já que existe a possibilidade de regiões inteiras tornarem-se impróprias a determinados cultivos. Além disso, o clima pode influenciar no aparecimento de novas pragas.

Para minimizar futuros danos e prejuízos, o assessor técnico de meio ambiente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), Rodrigo Justus de Brito, defende que se aumente o investimento em ciência e tecnologia para que os agricultores estejam preparados e munidos com exemplares mais resistentes de produtos. O Brasil tem ferramentas para minimizar essa situação. Nós podemos nos adaptar, porém, demandamos mais investimentos na adaptação de cultivares , considera.

Brito ressalta que o desenvolvimento de novas tecnologias não acontece de um dia para o outro. E defende que uma política de seguro e subsídio a produtores seja programada pelo governo federal para evitar que grandes perdas de produção sejam registradas devido ao clima. O Brasil não tem um sistema de seguro agrícola capaz de absorver toda a nossa produção , explica.

Por outro lado, o Brasil encontra-se em situação favorável diante de outros países, já que existe a possibilidade de algumas culturas migrarem de região. Ao citar uma pesquisa da Embrapa, ele comenta que daqui a uns anos poderemos ter plantação de cana de açúcar até no Rio Grande do Sul, onde a produção de maçã e uva pode estar comprometida por causa do aumento da temperatura. Isso não nos exime de fazermos a lição de casa para nos prepararmos , conclui.

Fonte: Gazeta do Povo