26 de abril de 2013

BNB apresenta opções para renegociação das dívidas rurais



O diretor de Desenvolvimento Sustentável e Microfinança do Banco do Nordeste, Stélio Gama Lyra Júnior, participou nesta quinta-feira (25) de uma reunião com parlamentares da Bancada Nordestina, na Câmara dos Deputados, em Brasília (DF). No encontro, ele apresentou as ações para regularização de dívidas dos agricultores afetados pela seca e condições especiais de financiamento por meio do FNE Estiagem.

Stélio Gama explicou aos parlamentares a Medida Provisória 610, que concede descontos de até 85% para agricultores familiares com perdas comprovadas decorrentes da seca. O benefício é válido para mutuários de operações do Pronaf (exceto os do grupo B do Programa).

“Além da Medida Provisória 610, as resoluções 4.211 e 4.212, publicadas recentemente pelo Conselho Monetário Nacional, permitem que agricultores familiares localizados em municípios com situação de emergência decretada renegociem o saldo devedor em dez parcelas anuais, com o primeiro vencimento em 2016. Cada parcela paga até o vencimento terá bônus de adimplência de 80%, mesmo percentual de desconto aplicado em caso de liquidação da dívida”, ressaltou Stélio Gama.

Os produtores rurais não classificados como agricultores familiares também poderão parcelar suas dívidas em dez vezes, com o primeiro vencimento programado para 2015.

Na ocasião, o deputado Ariosto Holanda (PSB–CE) também apresentou uma série de ações estratégicas de convivência com a seca.
De acordo com o coordenador da Bancada do Nordeste, deputado Pedro Eugênio (PT–PE), as exposições realizadas serão a base para a formação de um grupo parlamentar de trabalho que vai desenvolver iniciativas em prol dos atingidos pela estiagem. “Esse grupo foi formado hoje e nós definiremos agora um cronograma de trabalho. Ao final, será elaborado um documento com as ações discutidas”, afirmou.

Agricultores protestam no centro de Campina Grande com carcaças de animais e param trânsito
A Associação dos Mutuários do Crédito Rural (Amcre) da Paraíba realizou um novo protesto, em Campina Grande, na manhã dea última segunda-feira (22), para solicitar o perdão da dívida de 111 mil agricultores paraibanos afetados pela estiagem, desde 1995. O protesto parou o trânsito da segunda maior cidade do Estado.

Os manifestantes espalharam carcaças de animais na frente do Banco do Nordese e o movimento interrompeu o funcionamento da agência. O trânsito foi praticamente bloqueado nas ruas João Suassuna e 7 de Setembro, no centro da Cidade.

O Banco do Nordeste informa que os empresários já concederam 80% de desconto nas dívidas dos produtores rurais e caso a estiagem se estenda muito, novos acordos ou benefícios serão liberados, dentro do que permite o Governo Federal.

O presidente da associação, Jair Pereira, disse que o BN não os atende e planeja ir ao Banco Central em Recife-PE para exigir uma fiscalização no Banco do Nordeste.

Com esse, já são três protestos realizados pela Amcre da Paraíba, somados com os que ocorreram em João Pessoa e Guarabira, com o mesmo
objetivo.

Fonte: Política Real