26 de março de 2009

Circuito Nordeste discute erradicação da febre aftosa



Mário Borba, presidente do Sistema Faepa-Senar, participou nesta terça-feira, 24, do Circuito Pecuário Nordeste, em Fortaleza, no Ceará. Representantes do setor agropecuário dos estados de Alagoas, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte discutiram estratégias para erradicação da febre aftosa.

O Brasil definiu como meta a erradicação da doença em todo o seu território até 2010. Enquanto não erradica a febre aftosa a carne é recusada em mercados internacionais importantes, como os Estados Unidos, Japão e Coréia do Sul. Na ocasião, foram apresentadas também as ações desenvolvidas pelos estados para alcançar um melhor status sanitário.

Há três anos nenhum caso de febre aftosa é registrado no país. Mesmo assim, mais de 40% do território brasileiro não são considerados livres da doença. Atualmente, somente Sergipe e Bahia são livres de febre aftosa com vacinação na região. Rio Grande do Norte, Pernambuco e Maranhão são classificados como regiões de risco médio para a doença e os demais estados possuem risco desconhecido. 

Em todo o País, 14 estados e o Distrito Federal são livres de aftosa com vacinação e Santa Catarina é reconhecido como livre da doença sem vacinação. Isso significa que 59% do território e 89% do rebanho bovino brasileiro estão em área livre da enfermidade.

Febre Aftosa

A febre aftosa é uma doença contagiosa, causada por vírus de rápida multiplicação. Ela ataca os animais de casco dividido, como caprinos, ovinos, bubalinos, suínos e, principalmente, bovinos. As maiores caracteristicas dos animais doentes são: feridas na boca, nas tetas e entre as unhas. Esses animais infectados apartam-se dos outros, babam, não comem e não bebem.

 

Poliana Queiroz com informações do Globo Rural