18 de abril de 2016

CNA defende retomada da estabilidade econômica



O presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins, afirmou perante plateia de 70 deputados federais, da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), que “este domingo (17/04) será o Dia D para a afirmação da cidadania brasileira”, quando a Câmara dos Deputados terá a oportunidade histórica de aprovar o processo de impeachment da presidente. A dura realidade, segundo Martins, é que o atual governo optou pelo caminho errado ao adotar “medidas que afetaram a estabilidade da economia e provocaram o crescimento do desemprego”. Ele lembrou, ainda, “o fechamento de 100 mil estabelecimentos comerciais em todo país, gerando 10 milhões de desempregados e com o governo perdendo toda credibilidade junto à população e à comunidade financeira internacional”.

Durante o evento, um almoço de trabalho cujo cardápio principal foi o momento político e econômico vivido pelo Brasil, o vice-presidente da CNA e coordenador do movimento de mobilização dos produtores rurais, José Mario Schreiner, também destacou a necessidade urgente de mudanças profundas na economia do país. Em sua avaliação, a retomada do crescimento do país deve começar “com a aprovação do processo de impedimento da presidente da República, em seguida uma profunda reforma do sistema político e eleitoral brasileiro, com firmeza no combate à corrupção”.

Movimento por mudanças – Para o presidente da FPA, deputado Marcos Montes (PSD-MG), também presente ao almoço realizado neste sábado (16/04), com a presença de lideranças nacionais da agropecuária, “a opção da CNA pelo impeachment foi fundamental no fortalecimento do movimento de mudanças”. Montes lembrou que a CNA foi a primeira instituição do setor produtivo a “abraçar formalmente o voto pelo ‘sim’, mostrando discernimento e capacidade de liderança nesse momento histórico vivido pela sociedade brasileira”. Segundo ele, os parlamentares ligados ao setor agropecuário e integrantes da FPA na Câmara dos Deputados “estarão de pé para votar em favor do impeachment e na defesa dos legítimos interesses da agricultura e da pecuária brasileiras”.

Divisor de águas – Na avaliação de João Martins este é um momento histórico, “um verdadeiro divisor de águas sobre o destino e o futuro da nação brasileira”. Mudar o país, reconstruir a economia, fazer as reformas estruturais, por exemplo, da previdência social e da legislação trabalhista, “são tarefas complexas a serem executadas a partir da aprovação do impeachment”. Outra preocupação do presidente da CNA é com a imagem externa do país. O setor agropecuário é o maior exportador, mas uma imagem negativa do Brasil, no exterior, pode afetar negócios e inibir a busca por novos mercados, ponderou.

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Acre (FAEAC), Assuero Doca Veronez, reforçou as preocupações dos produtores com o momento “grave vivido pelo país”. No seu entender, a nação “está diante de um total desgoverno, com a população ansiosa por novos rumos, por ética e mais responsabilidade social dos governantes”. A mobilização que a CNA, federações de agricultura e pecuária, sindicatos e produtores rurais têm por objetivo básico defender as instituições democráticas e o princípio da livre iniciativa.

Assessoria de Comunicação CNA

Telefone: (61) 2109 1419

www.canaldoprodutor.com.br

https://twitter.com/canaldoprodutor

https://www.facebook.com/canaldoprodutor