4 de fevereiro de 2013

Dilma antecipa plano agrícola e promete mais recursos



SÃO PAULO – A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira, 4, em Cascavel (PR), que o Plano Agrícola e Pecuário 2013/2014 será lançado até maio e terá mais recursos do que os R$ 115 bilhões para agricultura empresarial e os R$ 18 bilhões para a familiar de 2012/2013, bem como juros menores. Tradicionalmente, o plano é apresentado em junho para o período de safra iniciado em julho.

"O que os agricultores gastarem, nós cobriremos. Se eles conseguirem tomar para custeio e investimento, teremos mais recursos", disse Dilma na abertura do Show Rural Coopavel , na cidade paranaense. A presidente elogiou a agricultura brasileira e afirmou que no Brasil há uma "receita vencedora", que é fazer com que toda vantagem competitiva, de clima, sol, solo, seja somada à tecnologia, pelos produtores. "O Brasil é extremamente competitivo, chova ou faça sol, na produção de alimentos", afirmou a presidente. "Essa receita nos transformou em uma potência agrícola", completou.

Dilma citou também a redução dos juros na política agrícola e no Programa de Sustentação do Investimento (PSI), de 5,5% para 2,5% ao ano, para a aquisição de máquinas e equipamentos. "É importante que agricultores tenham acesso ao financiamento", disse. Para ela, há uma consciência da importância da agricultura brasileira, "não só porque gera superávit, mas pela inovação e transformação do País em mais desenvolvido".

A presidente afirmou que o setor agrícola tem maturidade suficiente para enfrentar os desafios e avaliou que, com o aumento de recursos para a agricultura familiar, "há imensa possibilidade" do aumento da produtividade para o setor.

A presidente citou a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) como exemplo de pesquisa no setor agrícola e disse que o governo está "na reta final da (criação da) agência que irá cuidar estritamente da assistência técnica, desdobramento que irá levar o conhecimento aos produtores, uma extensão, um braço da Embrapa".

Política

Ainda durante do discurso, Dilma voltou a elogiar, como tem feito em seus pronunciamentos, um adversário político, neste caso, o governador paranaense Beto Richa (PSDB). Ela voltou também a pedir a parceria entre os governos federal e estadual. "Houve um tempo em que o governante olhava para o governador ou prefeito perguntando de que partido ele era. Esse tempo acabou, pois jamais olhamos para a opção política, religiosa ou esportiva", disse. "Isso não pode ser critério para parceria, porque quem nos elegeu tem um nome só: o povo brasileiro", completou.

O Show Rural Coopavel, realizado há 25 anos, abre o calendário de feiras agrícolas no País em 2013, tem 406 expositores e segue até a próxima sexta-feira, dia 8. Além da cerimônia de abertura do evento, Dilma participou da entrega de 29 retroescavadeiras a municípios paranaenses.

A presidente segue nesta tarde para Arapongas (PR), onde inaugurará, em um assentamento local, uma agroindústria láctea. A unidade recebeu investimentos de R$ 11 milhões – R$ 8 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e R$ 3 milhões do Instituto Nacional de Colonização e reforma Agrária (Incra). Ela atenderá 2 mil famílias de assentados.

Fonte: Estadão