30 de abril de 2009

Governo aprova consumo de suínos



O Ministério da Agricultura anunciou medidas para evitar
queda nos negócios com a carne de porco. A preocupação é que, com o
temor da gripe suína, o consumo caia.

O Ministro Reinhold Stephanes ouviu o apelo do setor e reuniu a
imprensa para dizer que o consumo de carne suína é seguro porque não há
qualquer evidência de que o vírus da gripe, que surgiu no México, seja
transmitido pelo consumo da carne de porco.

Stephanes reconheceu que há muita apreensão entre criadores e
exportadores que temem redução nas vendas, mas informou que ainda não
há números que mostrem esta queda. O ministro descartou a adoção de
medidas sanitárias emergenciais já que a produção do Brasil obedece os
critérios estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde Animal.

Até agora o governo não recebeu nenhum comunicado externo de
suspensão de importações da carne suína brasileira, mas para garantir a
manutenção dos embarques, o Ministério da Agricultura vai enviar um
documento aos principais compradores reafirmando a qualidade do sistema
de produção brasileiro.

O primeiro a ser procurado é a Rússia, que representa quase 50% das
nossas exportações e que já cancelou a compra das carnes de porco do
México e dos Estados Unidos.

“Nós mantemos, por enquanto, uma visão muito otimista. Nós achamos
que o mercado vai se manter. Por um lado podemos ter uma perspectiva
até de aumento de mercado, já que está havendo restrição do mercado
americano por parte de alguns países e eventualmente o Brasil poderia
ocupar, por suas condições de produção”, afirma Reinhold Stephanes,
ministro da Agricultura.

Para mostrar ao mercado interno a qualidade da carne produzida aqui,
a estratégia também foi anunciada. “Temos que esclarecer a população
que não há nenhum problema. Eu posso garantir que o presidente da
república e eu mesmo, vamos a um restaurante, no sentido de comer a
carne suína, para mostrar que não há nenhum problema”, afirma
Stephanes.
Egito decide abater todo o rebanho suíno.

No Egito, o governo anunciou uma medida extrema: vai abater todo o rebanho suíno para tentar impedir a chegada da gripe.
Até
o momento, o Egito não registrou nenhum caso da doença. No entanto, o
ministro da saúde do país disse ontem que todo o rebanho suíno será
abatido. O objetivo é educar o público sobre a gripe suína.

A maioria da população egípcia é muçulmana e não come carne de
porco. As cerca de 350 mil cabeças criadas no país são destinadas à
minoria cristã.

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação
considerou a decisão do Egito um grande erro. Até o momento, não há
notícia de que haja animais doentes, nem tampouco, que seres humanos
tenham contraído a doença por meio do contato com porcos.

 
Fonte: Globo Rural