11 de dezembro de 2012

Governo prepara ato para liberar pulverização aérea



Hoje pela manhã, o ministério deverá se reunir com lideranças dos produtores rurais afetados pela medida com o objetivo de explicar as prováveis mudanças. A intenção do governo, segundo apurou o Valor, é ajustar a janela de pulverização para que o tratamento de certas pragas possa ser adequado.

Em outubro, ministério e Ibama proibiram o uso dos princípios ativos Imidacloprido, Fipronil, Tiametoxan e Clotianidina nas lavouras. Segundo dados do Ibama, esses produtos corresponderam a 10% do consumo brasileiro de defensivos na última temporada.

A intenção do setor produtivo é ganhar tempo com essa prorrogação para tentar viabilizar novas substâncias que substituam as atuais. Nos últimos dias, integrantes do Ministério da Agricultura estão participando de reuniões com técnicos do Ibama para fechar o novo ato conjunto.

Mesmo com a resposta esperada pelo setor produtivo, representantes dos produtores de soja e algodão do país disseram ao Valor que o ato ajuda, mas não resolve os problemas.

O diretor-executivo da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão, Márcio Portocarrero, disse que é preciso olhar para frente para evitar que o problema seja repetido no ano que vem. "Uma prorrogação sem diálogo para resolver o problema é inútil", explicou. Segundo ele, o princípio de precaução usado pelo Ibama para proibir os produtos não poderia ser levado adiante. "Alegar que quatro produtos estejam colocando em risco toda a população não é risco iminente e não pode-se alegar precaução neste caso. Seriam necessários mais estudos", disse.

Em outubro passado, uma ação entre o Ibama e o ministério passou a autorizar em caráter temporário o uso de produtos agrotóxicos que contenham as substâncias Imidacloprido, Tiametoxan e Clotianidina para as culturas de arroz, cana-de-açúcar, soja e trigo até o dia 30 de junho de 2013, obedecendo a períodos específicos de aplicação por região e por cultura.

Das quatro culturas autorizadas, apenas a soja deverá seguir um cronograma de aplicação. No Centro-Oeste brasileiro, a pulverização aérea foi autorizada entre 20 de novembro e 1º de janeiro de 2013. No Norte, de 1º janeiro a 20 de fevereiro. Na região Sul, de 1º de dezembro de 2012 a 15 de janeiro de 2013.]

Fonte: Valor Online