1 de outubro de 2008

Mobilização contra queimadas no Semi-Árido paraibano



Órgãos ambientais se mobilizam contra as queimadas no Semi-Árido paraibano

O Museu Interativo do Semi-Árido, em parceria com o Instituto Nacional do Semi-Árido (INSA), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Exército (31º Batalhão de Infantaria Motorizada), realizará amanhã, quarta-feira (01), pela manhã, uma grande mobilização na Praça da Bandeira, em Campina Grande (PB), contra o desmatamento e as queimadas que estão aumentando potencialmente a desertificação no Semi-Árido paraibano.

De acordo com informações do 2º Batalhão Bombeiro Militar (BBM), já foram registrados este ano cerca de 100 incêndios em matagais da região do 2º BBM. O mês que registrou maior número de focos de incêndio foi fevereiro, com 36 ocorrências de fogo na mata. A preocupação dos bombeiros é que a partir de agora, com a temperatura mais quente, aumente a ocorrência de incêndios na mata. Durante a mobilização o museu vai distribuir mudas de plantas e sacolas ecológicas.

De acordo com o coordenador do Museu, Vicente de Paulo Albuquerque Araújo, a iniciativa tem como objetivo ajudar a preservar as belezas naturais do Semi-Árido e conscientizar a população para a problemática que as queimadas e o desmatamento trazem para o meio ambiente. A mobilização faz parte da programação da Primavera dos Museus realizada pelo MISA e vai reunir vários órgãos e ONGs de proteção ao meio ambiente, numa antecipação ao Dia Mundial dos Animais, Dia da Natureza e o início da Semana de Proteção à Fauna (04/10). O evento contará com o apoio de instituições como o Corpo de Bombeiros, Ministério Público Estadual e o 1º Grupamento Florestal de Campina Grande Guardiões da Natureza, entre outras.

O processo de desertificação na Paraíba já atinge 70% do Estado, de acordo com informações da Associação de Proteção Ambiental do Estado (APAM). Na região da Borborema a desertificação já ultrapassa 80%. De acordo com especialistas, o açude de Bodocongó está com apenas 30% de sua capacidade de água devido ao assoreamento provocado pelo desmatamento. O mesmo estaria acontecendo com o Açude de Boqueirão que já está com 15% de assoreamento. Os especialistas alertam aos órgãos ambientais, considerando que a desertificação está mudando o curso dos rios e riachos e assoreando os mananciais.

Desertificação é o fenômeno que ocorre em regiões de clima árido, semi-árido e sub-úmido seco, destruindo cerca de 60 mil km de terra no mundo todo. Além de tornar a região vulnerável à seca causando prejuízos diretos na agricultura e pecuária a desertificação causa perda da biodiversidade, dos solos por erosão e diminuição dos recursos hídricos levando ao abandono das terras pela população. Cerca de metade da paisagem da Caatinga já foi deteriorada pela ação do homem. De 15 a 20% do bioma estão em alto grau de degradação (com risco de desertificação).

Fonte: Ascom Insa