2 de junho de 2008

Soledade realiza primeira exposição e feira de animais



A cidade de Soledade no Cariri paraibano realizará na próxima quinta-feira, 05 de junho, sua primeira feira de animais, com o objetivo de estimular os pecuaristas do município a melhorarem a qualidade dos animais e a capacidade produtiva de leite.

Segundo o vice-prefeito daquela cidade, José Bento, as entidades locais estão trabalhando para melhorar a qualidade genética do rebanho, com capacidade de produção em torno de 20 litros de leite/dia, citando que no município ainda tem produtores com baixa produtividade, como por exemplo um rebanho de  de 16 vacas leiteira produzindo apenas  26 litros de leite por dia, no total, prática que torna inviável o criatório do ponto de vista custo/benefício. “Eles tem um custo altíssimo para manter esses animais, no entanto eles não estão respondendo do ponto de vista da produção, como nós temos aí o mercado de leite que é bastante ativo e tem muito espaço ainda pra gente trabalhar, então a gente precisa fomentar essa produção qualificando todo o processo produtivo com os produtores e também levando essa idéia de que é preciso melhorar o plantel para que se possa obter melhores resultados e maior produtividade dentro da propriedade familiar”, argumenta Bento.

O vice-prefeito disse ainda que está sendo feito uma parceria com uma usina de coleta de leite que fará doação de um touro para fazer o melhoramento genético e está sendo construída uma parceria com a Emepa, Empresa Paraibana de Pesquisas Agropecuárias, objetivando melhorar a qualidade genética do rebanho caprino, ovino e bovino para que o município avance na produção leiteira e de corte. “Estamos buscando as instituições de crédito a exemplo do Banco do Brasil, Banco do Nordeste, mobilizando esse segmento até porque eles são instrumentos repassadores de recursos do governo federal através do Pronaf”, justifica.

Para evitar qualquer uso inadequado dos recursos do Pronaf, foi organizada uma comissão técnica com representação do Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Emater, prefeitura, Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável, sindicatos dos trabalhadores rurais, dentre outras que trabalharão o processo de transparência no processo de aquisição de animais junto ás instituições financeiras. “É exatamente pra gente evitar aquela maracutáia que sempre aconteceu: uma vaca só, sendo vendida 50 vezes passando de um produtor pra outro simplesmente de araque”, relata Bento.


Bento disse que esse é um trabalho que da continuidade as ações de capacitação dos agricultores familiares em torno da capacidade produtiva dentro do modelo diversificado de culturas, levando-os a, além de comprar bons animais, a melhorar a capacidade da produção de ração para a alimentação dos animais em toda a época do ano.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural