2 de dezembro de 2016

CNA defende fim da cobrança de PIS e confins na Aquicultura


Jocelio Oliveira

Tributação sobre a cadeia produtiva é prejudicial ao setor

– Aquicultores de todo o país querem o fim da cobrança de PIS e Cofins, tributos que atualmente incidem sobre a ração, os alevinos e sobre os peixes vendidos para os frigoríficos.

O tema foi discutido na última reunião do ano da Comissão Nacional de Aquicultura da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), na terça (29), em Brasília. Os criadores avaliam que a incidência de 9,25% de PIS e Cofins prejudica o setor.

Segundo o presidente da Comissão Nacional de Aquicultura da CNA, Eduardo Ono, a aquicultura é a única cadeia que paga estes dois tributos hoje, enquanto setores como aves, suínos e bovinos são isentos desta cobrança.

“É uma cobrança extremamente prejudicial. Outras cadeias não pagam e nós temos esta distorção tributária”, disse Ono.

Fiscalização – Outro tema da reunião foi o processo de fiscalização dos pescados importados. Alguns destes produtos entram no Brasil sob a suspeita de adulteração para aumento de peso e também do uso de produtos químicos para conservação.

Em agosto, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) lançou uma norma para controlar a entrada destes peixes no país e já notificou várias empresas.

 

Assessoria de Comunicação CNA

Telefone: (61) 2109 1419

cnabrasil.org.br
canaldoprodutor.tv.br

twitter.com/SistemaCNA

facebook.com/SistemaCNA

instagram.com/SistemaCNA