27 de outubro de 2009

Congresso palma reune mais de 300 participantes



 

O Congresso Brasileiro de Palma e outras Cactáceas que começou nesta segunda feira (26/10) em Campina Grande, reúne mais de 300 participantes vindos de diversos estados do país. Durante quatro dias produtores rurais, pesquisadores, estudantes e demais profissionais do setor agropecuário do estado da Paraíba e de todo Brasil vão discutir as experiências sobre o potencial da palma, que tem no Nordeste brasileiro a maior área plantada do mundo.

A solenidade de abertura contou com a presença de autoridades como: o secretario de Estado de Desenvolvimento, Agricultura e Pesca (Sedap), Rui Cavalcanti Junior; o arcebispo da Paraíba, Don Aldo Pagoto; o superintendente Federal da Agricultura na Paraíba – SFA-PB, Hermes Ferreira Barbosa; o Deputado Estadual, Francisco de Assis Quintans; o diretor do Instituto Nacional do Semi-Árido – INSA, Roberto Germano; o Superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – SENAR-PB, Almiro De Sá Ferreira; o diretor de administração e Finanças do SEBRAE-PB, Luis Alberto Gonçalves De Amorim; o superintendente do Banco do Nordeste do Brasil – BNB, Francisco Carlos Cavalcanti; presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Ceará, Flávio Viriato de Saboya Neto;  e o vereador de Campina Grande, Rodolfo Rodrigues.

O presidente da Federação da Agricultura Pecuária da Paraíba (Faepa), e também do Congresso, Mário Borba, em seu discurso enfatizou que a cultura da palma é a grande alternativa para os produtores rurais do Semi-árido brasileiro, e que a Paraíba tem trabalhado incansavelmente para que a pesquisa, o cultivo e a difusão de novas tecnologias para o aproveitamento de todo potencial da planta se torne uma realidade no Brasil, a exemplo do que acontece em diversas partes do mundo, como o México. “Sei que já avançamos, mas reconhecemos que temos muito mais para fazer, tendo em vista que as tecnologias hoje disponíveis, verdadeiramente não tem chegado a quem mais precisa e se interessa: o produtor rural”, disse.

O Congresso Brasileiro é uma seqüência natural dos trabalhos e pesquisas iniciadas por ocasião do VI Congresso Internacional de Palma e Cochonilha, que aconteceu na Paraíba em 2007. Assim como o Internacional, o Congresso Brasileiro de Palma tem como objetivo desenvolver um trabalho de conscientização da área acadêmica e das diversas autoridades ligadas ao setor agropecuário brasileiro. Nesta mesma proposta, este ano foi criada a Associação Brasileira de Palma, que terá sua primeira assembléia durante o Congresso.

De acordo com Mário Borba, a Paraíba se tornou referência em um sistema de cultivo adensado, e que hoje é utilizado em diversas localidades, em especial na região Nordeste, cuja área de palma cultivada é a maior do mundo, com cerca de 600 mil hectares plantados. No estado da Paraíba, que tem cerca de 85% do seu território na região do Semi-árido, a palma tem se apresentado como a melhor alternativa de produção agrícola. Esta cultura vem proporcionando aos produtores rurais diversificação da produção agropecuária com aumento de renda, seja na atividade leiteira devido a melhor alimentação do gado, seja na manutenção do seu rebanho que antes sofria na seca, bem como com a venda para outros produtores da palma excedente. “Isso se deve, em grande parte, aos investimentos realizados pela FAEPA – Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba, o SENAR – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural da Paraíba, o SEBRAE e o BNB que, buscando as melhores alternativas para o homem campo, tem trabalhado incansavelmente, desde o ano de 2004, na expansão da cultura da Palma”, destacou Mário.
Diversos casos de sucesso serão apresentados no Congresso que conta ainda com mais de 80 trabalhos inscritos para a sessão pôster e com palestrantes de renome nacional e internacional, totalizando oito seminários.
O Congresso Brasileiro da Palma é uma realização da Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba – FAEPA, juntamente com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural –SENAR/PB, a Universidade Federal da Paraíba – UFPB, e o Instituto Nacional do Semi-Árido – INSA.  Também apoiaram o evento o Senar Nacional, o Sebrae, a Sudene e a Caps.

Assessoria do Congresso:
Eudete Petelinkar e Poliana Queiroz
Contato: 83 – 9913-9963