13 de novembro de 2013

Embrapa treina para agricultura de precisão em coleta



A tecnologia da informação está cada vez mais presente no dia a dia das empresas. Na agricultura não é diferente. Mas para empregar os recursos computacionais adequadamente e extrair o máximo de informaçção é preciso conhecer e saber operar as ferramentas. A Embrapa Instrumentação e a empresa Stonway (uma spin-off) promovem, nos dias 19 e 20 de novembro, no Centro de Pesquisa em São Carlos, interior de São Paulo treinamento sobre dois softwares – Safira e AFSoft – utilizados em agricultura de precisão para coleta e análise de folhas e raízes.

Os dois softwares podem ser acessados, gratuitamente, a partir do site da Embrapa Instrumentação, no endereço www.cnpdia.embrapa.br. O software Safira ajuda a diagnosticar como está o desenvolvimento da planta dentro do solo, porque enxergar o estado da planta abaixo do solo é tão importante quanto o desenvolvimento acima do solo.

Já o AFSoft analisa e quantifica automaticamente deficiências nutricionais, incidência de doenças e ataque de insetos em culturas, a partir da imagem digital da folha. Também permite medições de área, comprimento e largura da folha e de regiões danificadas. Os interessados devem fazer a inscrição acessando o site www.stonway.com.br ou enviando mensagem para o endereço contato@stonway.com.br ou ainda pelo telefone (16) 3032 0556. As vagas são limitadas. O curso será composto de teoria e prática; serão oferecidas técnicas de coleta de material, preparação de amostras e análise em laboratório. A Stonway nasceu este ano pelas mãos de quatro estudantes, na Embrapa Instrumentação, onde realizam estágio no Laboratório de Imagem e Modelamento. A empresa é incubada na Fundação Parque de Alta Tecnologia de São Carlos.

Aos alunos foram transferidos quatro softwares que ajudaram a criar. O pesquisador Lúcio André de Castro Jorge, supervisor, explica que essa é a forma mais ampla de difundir tecnologia. "Conseguimos formar um grupo qualificado que ajudará a Embrapa colocando as tecnologias no mercado, pagando royalties e, fundamentalmente, ajudando a impactar o agronegócio brasileiro com tecnologia de ponta". Os novos empreendedores são do curso de análise de desenvolvimento de sistemas do Instituto Federal de São Paulo e viram um nicho na agricultura de precisão.  

Fonte: DCI