29 de abril de 2013

Estiagem no Semiárido é a pior dos últimos 50 anos



A estiagem que atinge a região do Semiárido Nordestino é a pior registrada nos últimos 50 anos. De acordo com o governo federal, pouco mais de 1,4 mil municípios sofrem com a seca, afetando a vida de quase 22 milhões de brasileiros. A falta de chuva atinge mais de 90% dos municípios do Semiárido e ultrapassou a extensão das 1.135 cidades que o compõem.

A Secretaria Nacional de Defesa Civil já decretou situação de emergência e estado de calamidade pública em mais de mil municípios. A gravidade da situação levou o governo federal a investir R$ 32 bilhões em obras estruturantes, como barragens, canais, adutoras e estações elevatórias. O objetivo dessas obras é garantir o abastecimento de água de forma definitiva. Também foi anunciado no início deste mês mais R$ 9 bilhões em ações de combate à estiagem.

A previsão é de que cada município atingido pela seca receba uma retroescavadeira, uma motoniveladora, dois caminhões (um caçamba e um pipa) e uma pá carregadeira. O governo também vai distribuir 340 mil toneladas de milho até o fim do mês de maio, que serão vendidas aos produtores a preço subsidiado.

O engenheiro agrônomo e pesquisador da Embrapa Semiárido, Pedro Gama, destaca que a seca é um fenômeno recorrente e cíclico da região do Semiárido, mas que o país ainda não está suficientemente preparado para enfrentá-la.

– Essa estiagem prolongada é uma crise climática e ocorre a cada 40, 50 anos. Houve avanços, mas ainda é pouco. Precisa-se de muito investimento em pesquisas, políticas públicas para que estejamos preparados para enfrentar crise desse tipo – disse.

Fonte: Agência Brasil