10 de junho de 2008

MAPA fará nova auditoria sobre febre aftosa no RN



Apesar de o Governo do Estado ter previsto que até o fim de abril o Rio Grande do Norte seria considerado “área de risco médio” em relação à febre aftosa, o Ministério da Agricultura afirma que ainda vai fazer uma nova auditoria antes de tirar o estado do incômodo status de “risco desconhecido”. No RN, criadores e representantes do governo suspeitam que a atitude da entidade federal seja reflexo de um boicote de pecuaristas do Sudeste, em uma tentativa de represar a qualidade genética do rebanho potiguar. Para esclarecer a situação, a governadora Wilma de Faria convidou o deputado federal Henrique Alves para audiência, com o titular do ministério, Reinhold Stephanes – integrante do mesmo partido de Henrique, o PMDB.

Os boatos sobre uma nova auditoria já corriam dentro da Secretaria Estadual de Agricultura e Pesca (Sape) e foi divulgada pelo presidente da Associação dos Criadores de Ovinos e Caprinos (Ancoc), Orlando Gadelha Procópio, durante seu discurso na abertura da Exposição Agropecuária de Caicó, na semana passada. Aparentemente, a informação ainda era dada como oficiosa. Porém, questionado pela imprensa local, o Ministério da Agricultura, através de sua assessoria de comunicação, confirmou a nova auditoria. E a vinda dela depende da solicitação oficial do Governo do Estado.

Diante da situação, a governadora decidiu marcar uma audiência com o ministro. Outra providência foi convidar o líder do PMBD, Henrique Alves, tendo em vista as suspeitas de que o atraso na atitude do ministério tenha motivos mais políticos do que técnicos. Tanto o vice-governador Iberê Ferreira de Souza, quanto fontes da Sape e criadores potiguares dizem que há grande possibilidade de o RN estar sendo boicotado por ser uma referência nacional e até internacional na genética de bovinos, ovinos e caprinos. Porém, de acordo com a assessoria do ministério, este é um “procedimento técnico necessário” para a mudança de status do RN. “É uma questão política forte, por isso tem que levar Henrique (Alves) e Garibaldi (Alves Filho) para isso (a mudança) sair sem essa auditoria”, diz o o diretor da Associação Norte-rio-grandense de Criadores (Anorc), Marcelo Abdon, “e se essa auditoria vier, será uma desmoralização geral para todos, técnicos da Sape, governo e criadores”, diz ele, referindo-se à garantida dada pela governadora, no início de abril deste ano, que até o fim daquele mês o status do RN seria alterado. Wilma deu esta declaração baseando-se no fato de que todas as 13 exigências do ministério foram cumpridas

Festa

A notícia de uma nova auditoria joga um balde de água fria na organização da Festa do Boi – promovida pela Anorc e considerado o maior evento agropecuário potiguar. Segundo Abdon, este ano eles contavam com a mudança de status para trazer animais de outros locais, como Pernambuco e São Paulo, onde a ameaça da aftosa já foi descartada. As competições e leilões teriam abrangência nacional, mas sem o novo status, essa programação terá que ser alterada e restrita ao RN.

 

Fonte: Tribuna do Norte