23 de março de 2017

Presidente da Faepa defende prorrogação de dívidas rurais contraídas a partir de 2012


Jocelio Oliveira


O presidente da Faepa e vice-diretor presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Mário Borba, defendeu a prorrogação dívidas de produtores rurais adquirias entre 2012 e 2016, durante café da manhã que reuniu deputados federais, além de representantes do Ministério da Fazenda, SUDENE, e dos bancos do Nordeste e da Amazônia.

Para Mário Borba, além da prorrogação das dívidas, é preciso que seja oferecido aos produtores nordestinos um crédito emergencial para retomada das atividades.

“Nós não queremos perdão das dívidas, queremos a renegociação. Nossa proposta é de 3 anos de carência e dez para pagamento. Mas também é preciso uma ação emergencial. Acabaram o capim e o gado, com isso o produtor precisa de um crédito para retomar sua atividade”, afirmou Borba.

Ainda segundo Borba, o Brasil tem dimensões continentais e não se pode aplicar uma mesma política a regiões diferentes.

Veja também:

Federação apoia estruturação da cadeia de caprinos e ovinos
Faepa e CNA participam de seminário sobre situação de hidrovias no país
Faepa e CNA integram debate sobre regras para concessões de rodovias, ferrovias e aeroportos

O encontro, realizado nesta quarta (22) na Câmara dos Deputados, foi iniciativa do coordenador da bancada Nordeste, o deputado Júlio Cesar (PSD/PI).

Durante o encontro também foi discutida a proposta de renegociação das debentures do FINOR e FINAM. A reunião serviu ainda para avaliar a Lei 13.340. Ela foi promulgada em setembro de 2016 e autoriza a liquidação e prorrogação dos débitos contratados até 2011 por produtores das regiões Norte e Nordeste.

Assessoria de Comunicação Sistema Faepa/Senar-PB
(83) 3048-6050 / (83) 3048-6073

facebook.com/faepasenarpb
faepa.com.br