13 de março de 2013

Produtor do NE afetado pela seca pode ter dívida perdoada



A presidente Dilma Rousseff, afirmou, nesta quarta, dia 13, que o Conselho Monetário Nacional (CMN) vai avaliar o perdão da dívida de agricultores atingidos pela seca no Nordeste.

– Estamos avaliando o pleito de perdão da dívida; isso não está decidido, está sendo olhado com cuidado e carinho pelo CMN, que irá avaliar essa questão – afirmou a presidente, que esteve presente em Alagoas para inauguração de trechos do canal do sertão, obras para o transporte de água no Estado.

Dilma lembrou que, diante a persistência da estiagem na região, os vencimentos de dívidas tomadas e vencidas no período foram prorrogadas até 1º de julho, sem juros e sem multa. A mandatária ainda apresentou dados dos programas feitos contra a seca desde o ano passado, como a contratação de 6,5 mil carros-pipa, a criação da bolsa-estiagem de R$ 720,00 e do seguro garantia safra, de R$ 1.240,00 em conjunto com o Bolsa-Família.

– Criamos uma rede de proteção ao agricultor que sofre com seca não passar necessidade. E vamos prorrogar a bolsa estiagem e todas as medidas enquanto houver seca – acrescentou.

Indagada sobre as críticas da oposição direcionadas ao Bolsa-Família, Dilma defendeu o programa.

– O Bolsa-Família foi uma escolha política cuidar dos cidadãos mais pobres do Brasil. O Brasil não abandonou seus pobres, mas a pobreza extrema, a miséria está nos abandonando – disse.

A presidente Dilma considerou ainda que o "país só será desenvolvido e justo se investir em infraestrutura e em programas sociais" e defendeu os investimentos na região Nordeste.

– O Nordeste nunca foi problema e acredito que com as obras de infraestrutura e de recursos hídricos será a solução para o Brasil – concluiu.

Na terça, dia 12, a presidente anunciou um programa que deverá ser formulado para recompor as perdas de rebanhos de pequenos produtores rurais causadas pela estiagem. 

Fonte: Estadão